segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Distrito 9



Bom, como este blog inicialmente foi pensado para criticas de cinema (e não só), hoje falo do Distrito 9, um filme de ficção, dirigido por Neill Blomkamp, o qual já nos ofereceu filmes como 3000 Miles to Graceland, ou a série Smallville, agora passa a mais um passo.

O filme tem um argumento bastante original, ou seja, alienígenas a viverem em comum com humanos, mas isolados em Joanesburgo, no distrito 9.

Podemos contar com efeitos especiais muito bons, apesar de se distinguir perfeitamente as criaturas do real, talvez pelo filme ter dado prioridade a alta definição, o que torna mais difícil esconder esses detalhes.

Apesar de existir muita propaganda em seu redor, e de ter um argumento original, o filme não deve ser de categoria 5 estrelas, mas sim para um 3+, pois apesar da originalidade, a propaganda não faz jus a emoção, acção, e banda sonora do filme.

O actor principal, tem um bom desempenho, mas nada fora do comum.

Resumindo, um bom filme para passar o tempo mas nada fora do ordinário.
Inté

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Super Acidente

Uma das sequencias mais espectaculares que existe no cinema de um acidente em cadeia, se você tem sangue frio, pode ver...

Já agora, o filme é o Final Destination 2.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Alagados



Da última vez que visitei a santa terrinha, este mano que aqui coloco, teve uma acidente de ultra-leve, onde a sua mulher faleceu, e ele ficou preso a uma cadeira, mas mesmo assim, ainda faz o pessoal pular!
Fica aqui uma das minhas músicas de infância.
E com um pedaço em espanhol e tudo :)


Todo dia o sol da manhã
Vem e lhes desafia
Traz do sonho pro mundo
Quem já não o queria
Palafitas, trapiches, farrapos
Filhos da mesma agonia
E a cidade que tem braços abertos
Num cartão postal
Com os punhos fechados na vida real
Lhe nega oportunidades
Mostra a face dura do mal

Alagados, Trenchtown, Favela da Maré
A esperança não vem do mar
Nem das antenas de TV
A arte de viver da fé
Só não se sabe fé em quê
A arte de viver da fé
Só não se sabe fé em quê

Todo dia o sol da manhã
Vem e lhes desafia
Traz do sonho pro mundo
Quem já não o queria
Palafitas, trapiches, farrapos
Filhos da mesma agonia
E a cidade que tem braços abertos
Num cartão postal
Com os punhos fechados na vida real
Lhe nega oportunidades
Mostra a face dura do mal

Alagados, Trenchtown, Favela da Maré
A esperança não vem do mar
Nem das antenas de TV
A arte de viver da fé
Só não se sabe fé em quê
A arte de viver da fé
Só não se sabe fé em quê

Alagados, Trenchtown, Favela da Maré
A esperança não vem do mar
Nem das antenas de TV
A arte de viver da fé
Só não se sabe fé em quê
A arte de viver da fé
Só não se sabe fé em quê

Alagados, Trenchtown, Favela da Maré
A esperança não vem do mar
Nem das antenas de TV
A arte de viver da fé
Só não se sabe fé em quê
A arte de viver da fé
Só não se sabe fé em quê

Alagados, Trenchtown, Favela da Maré
A esperança não vem do mar
Nem das antenas de TV
A arte de viver da fé
Só não se sabe fé em quê
A arte de viver da fé
Mas a arte de viver da fé
Só não se sabe fé em quê
A arte de viver da fé
Só não se sabe fé em quê
A arte de viver da fé

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Podes me culpar...




Sorry!
Is all that you can't say?
Years gone by and still
Words don't come easily
Like sorry
Like sorry

Forgive me!
Is all that you can't say?
Years gone by and still
Words don't come easily
Like forgive me
Forgive me

But you can say, baby...
Baby, can I hold you tonight?
Maybe if I'd told you the right words
At the right time
You'd be mine

I love you
Is all that you can't say?
Years gone by and still
Words don't come easily
Like I love you
I love you

But you can say, baby...
Baby, can I hold you tonight?
Maybe if I'd told you the right words
At the right time
You'd be mine

Baby, can I hold you tonight?
Maybe if I'd told you the right words
At the right time
You'd be mine...

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Dia Não

Disse-te um dia
Façamos da chuva
o nosso banho quente de espuma
E que do frio se soltem gotas de suor
para bebermos uma a uma
Quis nesse dia
Viver como sempre vivo, em fantasia
E dizer-te que só o que
se inventa vale a pena
Mas nesse dia
Quis fazer-te um poema
e faltou-me a inspiração
Quis surpreender-te
faltou-me a magia
Quis resolver questões,
mas não tinham solução
E só então percebi a ironia
de acordar em dia não.


By
Ana Zanatti

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Volta as aulas

Pois é, dia da volta as aulas…
O estado de espírito para hoje será mais ou menos assim!
Legenda: Me da a nota professor, vai!

sábado, 19 de setembro de 2009

Prémios do Blog

Este Blog recebeu os seguintes prémios:





sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Homem não chora



Sempre ouvi dizer a máxima que os homens não choram, mas será mesmo assim.
Pode não parecer, pois não transparecemos tanto os sentimentos como as mulheres, mas chorar por dentro doí mais que umas boas lágrimas, ranho e mesmo baba!
Homens, mostrem a vossa masculinidade de uma maneira meiga, e botem a tristeza cá pra fora.

Portem-se !

Elementos


Aquilo que tens de mais belo
Não se vê, sente-se ao passar
Então a ti, nomeio o novo elo
Invisível, forte, chamo-te ar.


As folhas, a raiz que enterra
O teu corpo, simples singelo
Então a ti, nomeio o novo elo
O lugar, berço, chamo-te terra.


Na tua pureza, vejo a mágoa
No teu brilho, ritmo, me elevo
Então a ti, nomeio o novo elo
Fonte de vida, chamo-te água.


O calor, chamas do teu âmago
As cores, vermelho, amarelo
Então a ti, nomeio o novo elo
Feroz, paixão, chamo-te fogo.


A cadeia está completa
Com tua alma é repleta
De ternura de emoções
Serás sempre paixão.

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Censura

Censura afecta a crítica dos críticos que criticam a minha forma de criticar.
Para todos os que pensam que são melhores que os outros para criticarem os comentários, principalmente sem saber o contexto da coisa…

Aqui para vocês…


E no fim das contas, quem se está a rir?
lol

Endless Love

Sexo



Tenho que confessar
Um desejo oculto
De saborear os teus lábios
Sentir o abraço da tua língua
Beijar-te o queixo
Encontrar na tua face
O doce da tua pele

E com suavidade
Levar as minhas mãos
Pelas costas macias
Perde-las ao fundo da silhueta
Ouvindo de leve
O teu ar em minha orelha
Sem pressas ou medos

Com todo carinho
Já em chamas
Entrelaço os teus cabelos
Entre as pontas dos dedos
Com outro braço, firme
Junto-te ainda mais
Para te sentires a arder

Descendo os lábios
Pelo centro do peito
Deglutindo o cheiro
Olhando o interior
Até sentir a linha de pelos
Bem por baixo do umbigo
Tão eriçados, eriçados


Os olhos escondidos
Observam a tua reacção
Deitas a cabeça
Com os olhos cerrados
Vendo a sensação
Entregando-se por completo
Ao gesto incerto

As mãos apertadas
Atrás das coxas
Voltam a subir
Passeando pelos montes
Voltando-se para cintura
Explorando o abdómen
Até , um dia desses… acordar.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Amor vs. Ódio

Outro daqueles temas quentes!



Lanço aqui uma grande dúvida, será que uma paixão ardente, daquelas que nos consome a alma, um amor absoluto, tão grande que gostamos mais "dos outros" que de nós, pode tornar-se em repúdio, raiva, e mesmo ódio?



Será que algum dia foi amor?



Por favor, comentar o quanto baste.

terça-feira, 15 de setembro de 2009

João Paulo II



Não me perguntem pq, mas hoje senti-me triste, e recebi um PPT com desenhos do falecido papa, e gostei particularmente desta.

Lembrei-me de umas coisas que ele disse!
QUAL É O MAIOR OBSTÁCULO?
O Medo

QUAL É O MAIOR ERRO?
Abandonar-se

Das palavras que me dizes




Das palavras que me dizes
Tiro o conforto que me falta

Das carícias que me fazes
Em minha mente o amor salta


Quando o falso pudismo alerta
Com o desejo tu vens a correr

Quando a negação flui, desperta
Na mão insana, a marca do sofrer


Porque já não me amas
Porque não me possuis

Liberta-me desta ama
Que em consumo se traduz


Será razão para partir
Dilacerar, esvicerar meu coração

Não depende só de ti
Essa interminável paixão


Das palavras que recitas
Tiro a mentira que reside

E da verdade, onde me excitas
Retiro minha parte que em ti existe


Quero-te todo, tudo
Cem sentimentos por vezes

Por fim, de ti calado mudo
Quero as palavras que me dizes

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Palavras para que?

video

Vida de informático já não é fácil, mas o OUTSORCING, gera empregos, e não faz mais nada...

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Inspirado numa amiga

Uma grande amiga distribuiu cartões, e estes mereciam um cada um... lol.




Centros de Emprego



É triste, mas nos Centros de Emprego da Alemanha, existem, para além do parque de estacionamento normal, um parque de estacionamento para os cães!

E por aqui, acho que se o Sócrates ganhar, vamos mas é ter distribuição de pequenos almoços (pão seco com cháfé), e aluguer de guarda-chuva, para o pessoal que está na fila desdas 6 da matina.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Uma esmolinha por favor!



Êh!
Uma esmola pelo amor de Deus
Uma esmola
Meu! Por caridade
Uma esmola
Pr'o ceguinho, pr'o menino
Em toda esquina
Tem gente só pedindo...

Uma esmola pr'o desempregado
Uma esmolinha
Pr'o preto pobre doente
Uma esmola
Pr'o que resta do Brasil
Pr'o mendigo, pr'o indigente...

Ele que pede, eu que dou
Ele só pede, o ano é mil
Novecentos e noventa e tal
Eu tô cansado de dar esmola
Qualquer lugar que eu passo
É isso agora...

Uma esmola pelo amor de Deus
Uma esmola
Meu! Por caridade
Uma esmola
Pr'o ceguinho, pr'o menino
Em toda esquina
Tem gente só pedindo...

Uma esmola pr'o desempregado
Uma esmolinha
Pr'o preto pobre doente
Uma esmola
Pr'o que resta do Brasil
Pr'o mendigo, pr'o indigente...

Eu tô cansado, meu bom
De dá esmola
Essa quota miserável da avareza
Se o país não for prá cada um
Pode estar certo
Não vai ser prá nenhum...

Não vai não! Não vai não!
Não vai não! Não vai não!
Não vai não! Não vai não!
Não vai não!
No hospital, no restaurante
No sinal, no Morumbi
No Mário Filho, no Mineirão...

Menino me vê
Começa logo a pedir
Me dá, me dá
Me dá um dinheiro aí
Mas menino me vê
Começa logo a pedir
Me dá, me dá
Me dá um dinheiro aí..

Uma esmola pelo amor de Deus
Uma esmola, meu, por caridade
Uma esmola
Pr'o ceguinho, pr'o menino
Em toda esquina
Tem gente só pedindo...

quarta-feira, 9 de setembro de 2009



Já repararam bem como é a casa de banho de um homem?

Até aos 3, 4 anos temos as fraldas, os toalhetes, o talco e o papel higiénico.

Dos 4 aos 10, temos o papel higiénico, a escova e pasta de dentes.

Dos 10 aos 17, temos o papel higiénico perfumado (o qual passo a chamar PHP), a escova e pasta de dentes, o desodorizante, o gel e a colónia.

Dos 17 aos 26, temos o PHP, a escova e pasta de dentes, a espuma de barbear, as lâminas, o pós barba, o desodorizante, o gel, a colónia e os perfumes.

Dos 26 aos 35, temos o PHP, a escova e pasta de dentes, a espuma de barbear, as lâminas, o pós barba, o desodorizante, o gel, a colónia e os perfumes, o creme para as rugas do rosto, o creme para as mãos, a loção para queda de cabelo e os toalhetes.

Dos 35 aos 50, temos o PHP, a escova de dentes, a pasta de dentes, o gel medicinal para os dentes, a máquina de barbear, o desodorizante, o gel, a colónia e os perfumes, o creme para as rugas do rosto, o creme para as mãos, a loção para queda de cabelo e os toalhetes, a pomada para a inflamação, o betadine para o pacote, o óleo para a pele seca.

Dos 50 aos 70, temos o PHP, a escova para a dentadura, a pasta de dentes q se passa com o dedo nas gengivas, a peruca, o desodorizante, os toalhetes, os comprimido antes do banho, os comprimidos pós banho, o betadine para o pacote, a pomada para a inflamação e o óleo para a pele seca.

Dos 70 em diante, temos o PHP, as fraldas, o talco, o que resta da dentadura, a cadeirinha para sentar na banheira, os comprimidos estão escondidos pois da última vez tomou-se a caixa toda, as pomadas e a pasta de dentes estão escondidas para não misturar as coisas, e a campainha de emergência.

No fundo no fundo, aquilo que não falta na casa de banho de um homem, é o PAPEL HIGIÉNICO.

Socrates vs. Moura Guedes

Tirado directamente do Blog da minha amiga, informações gravadas pelo SIS...

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Amor Errante

Duelo de titães!!

É impressionante como algumas pessoas parvas nos estragam o fim de semana, ou a semana, ou mesmo a vida!!
Diz um grande filósofo, que eles as vezes fazem isso porque nós deixamos... Será?

Mas depois de ver esta brilhante luta, com magníficos efeitos especiais, e uma história que é a mais pura verdade, fiquei logo animado, a pensar que existe mesmo coisas muito boas no mundo, principalmente no meio cinematográfico.

Só não percebo como o mau da fita morreu com um soco na cara...

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

O Stress não leva a nada!

Quando se é chefe, deve se ter grande atenção aos incentivos que se da a um funcionário, principalmente, quando o funcionário tem a frente os comandos de uma escavadeira de grandes dimensões!!!

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Dia dos Viados

xi!!!!



Love of my life, you've hurt me
You've broken my heart, now you leave me.
Love of my life can't you see,

Bring it back bring it back,
Don't take it away from me,
Because you don't know
What it means to me.

Love of my life don't leave me,
You've taken my love, you now desert me,
Love of my life can't you see,

Bring it back bring it back,
Don't take it away from me,
Because you don't know
What it means to me.

You will remember
When this is blown over,
And everythings all by the way,
When I grow older,
I will be there at your side,
To remind you how I still love you
I still love you.

Back hurry back
Please bring it back home to me
Because you don't know
What it means to me
Love of my life
Love of my life
Yeah

I'm back



É meio viado (acho que só pela roupa... o jeito é de macho), mas uma grande música.

I try to discover
A little something to make me sweeter
Oh baby refrain
From breaking my heart
I'm so in love with you
I'll be forever blue
That you give me no reason
Why you're making me work so hard


That you give me no
That you give me no
That you give me no
That you give me no


Soul, I hear you calling
Oh baby please
Give a little respect
To me


And if I should falter
Would you open your arms out to me
We can make love not war
And live at peace with our hearts
I'm so in love with you
I'll be forever blue
What religion or reason
Could drive a man to forsake his lover


Don't you tell me no
Don't you tell me no
Don't you tell me no
Don't you tell me no


Soul, I hear you calling
Oh baby please
Give a little respect
To me


I'm so in love with you
I'll be forever blue
That you give me no reason
Why you're making me work so hard


That you give me no
That you give me no
That you give me no
That you give me no


Soul, I hear you calling
Oh baby please (Give a little respect)
Give a little respect
To me


(Soul) I hear you calling
Oh baby please (Give a little respect)
Give a little respect
To me